Atividades

Nível nacional

Senegal

O Senegal, oficialmente designado República do Senegal, é um país da África Ocidental com cerca de 16 milhões de habitantes. Dacar é a capital e maior cidade do Senegal. A língua oficial do Senegal é o francês. A principal actividade económica do país é a mineração e agricultura.

Cadeias de Valor  

Manga

A manga é o principal produto hortícola de exportação do Senegal. As tendências recentes no sector sugerem forte potencial de expansão das exportações, de criação de emprego e de geração de rendimentos. As exportações senegalesas da manga para a UE aumentaram para mais do dobro nos últimos cinco anos. O projecto irá organizar os produtores em sociedades cooperativas, garantindo assim a igualdade de oportunidades entre os mesmos (homens e mulheres), a fim de aumentar as suas capacidades de produção, transformação e exportação.

Cebola

No Senegal, a cebola é uma cadeia de valor com um enorme potencial de processamento e de valor acrescentado. A cebola é o principal produto hortícola do país, tanto em termos de volume como de número de agentes envolvidos. Cerca de 15 000 pequenos agricultores dedicam-se a esta cultura nas regiões mais vulneráveis do Senegal. A cultura da cebola é mais rentável para os pequenos agricultores do que a maioria dos outros produtos da agricultura de regadio nas zonas de produção.

Apesar do aumento da produção local, a demanda por cebola seca continua insatisfeita. Esta situação deve-se às perdas pós-colheita que continuam demasiado elevadas. As intervenções do programa permitirão estruturar os produtores em sociedades cooperativas activas na produção, processamento e comercialização, a fim de assegurar a auto-suficiência do país relativamente à cebola de qualidade e, em última análise, à exportação para os mercados da sub-região.

Tecnologias de Informação e Comunicação

A tecnologia digital está a tornar-se uma força essencial para impulsionar a mudança estrutural, reduzir as desigualdades e reforçar a inclusão social no Senegal. A falta de concorrência no fornecimento de serviços de Internet está a limitar o sector. Assim que esta limitação for ultrapassada, o crescimento da economia digital poderá desenvolver-se, optimizando assim a eficácia das intervenções no sector de TICs. As empresas senegalesas de TICs são geralmente pequenas e médias empresas (PMEs) que têm dificuldade em desenvolver e exportar os seus serviços porque não dispõem de redes de contacto necessárias. O país deve necessariamente reforçar a sua política de promoção de TICs de uma forma inclusiva para incentivar a sua utilização nos diferentes sectores da economia, assim como em casa.

Actividades Previstas  

No Senegal, a cebola é uma cadeia de valor com um enorme potencial de processamento e de valor acrescentado. A cebola é o principal produto hortícola do país, tanto em termos de volume como de número de agentes envolvidos. Cerca de 15 000 pequenos agricultores dedicam-se a esta cultura nas regiões mais vulneráveis do Senegal. A cultura da cebola é mais rentável para os pequenos agricultores do que a maioria dos outros produtos da agricultura de regadio nas zonas de produção.

Apesar do aumento da produção local, a demanda por cebola seca continua insatisfeita. Esta situação deve-se às perdas pós-colheita que continuam demasiado elevadas. As intervenções do programa permitirão estruturar os produtores em sociedades cooperativas activas na produção, processamento e comercialização, a fim de assegurar a auto-suficiência do país relativamente à cebola de qualidade e, em última análise, à exportação para os mercados da sub-região.

A manga é o principal produto hortícola de exportação do Senegal. As tendências recentes no sector sugerem forte potencial de expansão das exportações, de criação de emprego e de geração de rendimentos. As exportações senegalesas da manga para a UE aumentaram para mais do dobro nos últimos cinco anos. O projecto irá organizar os produtores em sociedades cooperativas, garantindo assim a igualdade de oportunidades entre os mesmos (homens e mulheres), a fim de aumentar as suas capacidades de produção, transformação e exportação.

A tecnologia digital está a tornar-se uma força essencial para impulsionar a mudança estrutural, reduzir as desigualdades e reforçar a inclusão social no Senegal. A falta de concorrência no fornecimento de serviços de Internet está a limitar o sector. Assim que esta limitação for ultrapassada, o crescimento da economia digital poderá desenvolver-se, optimizando assim a eficácia das intervenções no sector de TICs. As empresas senegalesas de TICs são geralmente pequenas e médias empresas (PMEs) que têm dificuldade em desenvolver e exportar os seus serviços porque não dispõem de redes de contacto necessárias. O país deve necessariamente reforçar a sua política de promoção de TICs de uma forma inclusiva para incentivar a sua utilização nos diferentes sectores da economia, assim como em casa.

Contactos

Ministério Líder

Ministère de l'Economie, des Finances et du Plan, Ministère du Commerce, Ministère de l'économie et des Finances

Mame Alassane SENE
Représentant de l’Ordonnateur national du FED
Ministère de l’Economie, des Finances et du Plan
Email: mamealassane06@hotmail.fr

Magatte NDOYE
Représentant du Ministère Sectoriel chargé du Programme
Ministère du Commerce
Email: magatendoye@gmail.com

Khalifa Ababacar FALL
Chargé du programme FED
Ministère de l’économie et des Finances
Email: khbabacarfall@yahoo.fr

Agência de Implementação

ITC

Delegação da UE

EU Delegation to Senegal

Caroline SORGUES
Caroline.SORGUES@eeas.europa.eu

Clemens SCHROETER
Clemens.SCHROETER@eeas.europa.eu